Jump to content

O COMEÇO DOS SEUS FETICHES


Recommended Posts

Posted
Tenho lembranças de ver alguém em um filme amarrado e amordaçado qnd tinha uns 9 anos e lembro de como aquilo me deixou eufórico kkkk a partir dali vi que tinha algo vibrava dentro de mim por aquelas sensações, mas era muito novo pra entender…

Eu comento perguntando se a pessoa tem algum fetiche kkk depende muito do que eu percebo da pessoa, mas sempre tenho um desânimo em compartilhar com parceiras “baunilha”, sinto que não entendem de fato como é, não é o mesmo prazer compartilhado
Posted
Meus fetiches começaram ais 13 anos de idade, mas só comecei a prática-lista aos 30 anos e continuo até hoje.
Posted
Eu sempre tive muita curiosidade sobre tudo, desde assuntos normais, assuntos sexuais ou outros tipos...
Tenho fetiches desde que me lembro...
As vezes descubro que tenho fetiches novos e diferentes...
Posted
Na época da escola hahahah já me interessava com 15 anos com 18 q entrei no mundo bdsm e sigo nele desde entao
Posted
Quando assisti a História de Ó e me identifiquei com o Sr Stephen
Posted
Nossa, excelente pergunta!

Quando eu era adolescente eu já vi que tinha fantasias que eu já considerava ""diferentes "" do que é mais tradicional; mas só fui começar a praticar mesmo quase 10 anos depois
Posted
Com 14 anos descobri o meu fetiche, mas somente com 23 anos que descobri que ele existe, e hoje em dia eu sigo com ele firme forte! Rsrs ❤️
Posted
Acho que desde que eu me entendo por gente. Com uns 6 ou 7 anos eu já tinha alguns desejos estranhos que depois vieram a se tornar algo sexual.
Pra mim é algo complicado de conversar sobre, no meu relacionamento só fui me abrir 100% sobre depois de 3 anos e muita conversa.
Acho que depende mais de sentir uma confiança da outra pessoa de que ela vai te entender e não julgar antes de começar a conversar sobre.
Posted
Eu sempre tive um pé dentro dos fetiches mais nunca entendi o pq sempre achava errado oque eu sentia até que conversando com algumas pessoas vi que era normal porém nem todo mundo tem mente aberta pra mim nos meus relacionamentos baunilha sempre faltava algo na relação
Posted
O meu começou numa antiga relação, onde eu namorava uma mulher mais velha e após uma cirurgia os cuidados dela comigo despertaram um novo contexto. Desde o início eu a tratava como rainha e a respeitava e obedecia em tudo....após esse momento comecei a tratá-la mais como uma mãe em termos de cuidados etc....a partir daí vieram algumas práticas que depois fui entender que são nomeadas como ageplay.
Posted
Depois de ver que simplesmente todas as mulheres tem fetish por receber dinheiro, PIX. Agora descrobri que tbm tenho desejo nisso!!!!

Quero ver a mulherada trouxa me depositado PIX um atrás do outro. Já que é modinha, tô aderindo pra mim tbm
Posted
Lembro que desde criança tive, porém nessa época tinha apenas uma sensação gostosa e quando atinge a puberdade que vi que sentia realmente desejo e tals...rs
Posted
Desde pequena me sentia diferente, com menos medo e mais entrega que minhas amigas. Gostava do obscuro. Com o tempo fui aprendendo a direcionar essa diferença para algo gostoso como o bdsm.
- comento sim.
- normalmente pergunto se a pessoa gosta de algo diferenciado, se possui algum fetiche
Posted
Antes tratava como fantasias, sempre gostei de fantasias as mais variadas... depois umas mais sex ... e agora uns fetiches... isso acho que nasce com a gente uns deixa florescer outros ainda se recusar a ser Felizes... o parceiro topando o céu é o limite...
Posted
Antes,quando bem jovem,eu via somente como fantasia! Com o tempo percebi que era fetiche!!! Por Sapatilhas,tanto que hoje em dia eu uso!!!!
  • 2 months later...
Posted
Durante a minha infância, eu era intuitivamente atento aos pés de minhas tias e primas, bem como de minhas amigas de escola, embora não tivesse plena consciência de que se tratava de uma tendência fetichista.
_
Recordo-me, de uma conduta ingênua e natural de me sentar no chão, próximo às minhas amigas, a fim de oferecer-lhes mimos, entre os quais incluía-se o toque, o que proporcionava-me grande afeição e satisfação.
_
Ainda na Infância, essa tendência foi por mim contida, até que através de brincadeiras como "verdade ou desafio", advém uma prática frequente de cheirar, beijar e lamber os pés das participantes, o que, em minha ingenuidade, tornou-se mais uma fonte de prazer.
_
Com o tempo, fui intensificando essa prática, procurando momentos de privacidade para satisfazer esse forte desejo.
_
À medida que me aprofundava no tema, ampliei meus horizontes ao explorar conteúdos correlatos e me envolver em outras práticas de interesse.
  • 3 weeks later...
Posted
Você consegue imaginar algo que sempre esteve dentro da sua cabeça? Algo turvo escondido em sua mente que mesmo sem fazer sentido nenhum, ganhou forma e cores. Não sei dizer o momento exato em que tudo começou, mas tudo ficava mais claro a cada experiência.
Meus fetiches tem mais a ver com devoção. Tenho meus favoritos mais simples como o spanking e o breath control, mas eu meu maior fetiche é a submissão.
Sempre tive uma personalidade dominante, estou acostumada a dar ordens, controlar e resolver as coisas. Se olhar para mim pessoalmente, vai achar que sou uma domme, atraio muitos subs devido a minha postura.
Eu era muito nova, mas eu sempre pedia coisas mais intensas dos meus parceiros, sexuais ou emocionais. Eu percebia minha excitação ao levar uma palmada do meu parceiro, ou quando ele apenas encostou no meu pescoço, quando me mordeu, quando foi possessivo. Estava lá desde o primeiro segundo em que me lembro.
Posted
Meu primeiro contato foi numa relação que tive em 2017, a minha parceira na época gostava de choking, spanking e ***. E ela me contando eu percebia que queria muito fazer tudo isso com ela, pq eu adorava que ela ficava feliz quando eu dominava ela.

Foi aí que eu percebi que gostava de ser Dom, mas hoje percebo que já tinha brisas de Daddy nessa relação também. Me descobri enquanto DD recentemente e tem sido ótimo explorar isso
Posted
Tudo começou quando eu era criança e tinha o hábito de posar na casa dos amigos, um dia meu vizinho posou na minha casa, minha cama era de casal então dormimos na mesma cama, ele hetero ficou com nojo de dormir comigo, então dormimos cada um com a cabeça pra um lado, durante a noite acordei com o pé dele na minha cara, cheiro de macho, sem lavar, suado, NA MINHA CARA cheirei, lambi, beijei e chupei inteiro aquele pé até pegar no sono no processo, acordei algumas horas depois e o pé dele tava do mesmo jeito, comecei a chupar de novo, mas já era de manhã, aí ele acordou e fingi estar dormindo... Foi incrível, já tinha tesão nele, e nessa noite insisti pra ele dormir sem camisa por causa do calor, ele quis dormir de roupa por causa de um maldito inseto voador que tinha no quarto, antes do episódio dos pés começar eu acordei a noite e ele tava dormindo, comecei a levantar a camiseta dele pra passar a mão no corpo dele mas ele acordou e me assustou, aí eu disse que vi o bicho voador entrar ali e queria ver, ele não acreditou e voltamos a dormir
  • 7 months later...
Posted
Acho que começou com a primeira experiência sexual. A primeira transação foi tbm a primeira vez a me dar conta de que havia algo que não compreendia bem e tratava como errado. Membro de una família muito católica, talvez isso explique a sensação de culpa pelos pensamentos que tive sobre sexo há época. Filho numa família imensa, associei o desamparo com a necessidade de atenção e isso reverberou no ato sexual e nas relações amorosas. Assim foi se criando dois lados, um regido pelos princípios morais cristãos em que encenava um perfil doce, educado, um bom filho etc etc. E outra que crescia escondido aos olhares de todos, no qual reinava o interesse de desvirtuar tudo e todos. Pois bem, no primeiro ato sexual de forma incontrolável me vi num papel esquisito para mim até o momento. Deixei a educação de lado, o bom mocismo e qualquer outro traço que se demonstrava ter durante o dia. Naquele momento em frente a minha namorada da época que esperava de mim um príncipe em vias de perder a virgindade, expus um lado baixo, degradante. Muito excitado, a segurei pelo pescoço, enfiei meus dedos em sua buceta e cospi em sua cara. Puxei seu cabelo, a coloquei de joelhos e fodi sua boca. Ali descobri que a falta de atenção não recebida reverberou numa necessidade de atenção em outros cenários.
Perdão pelo texto longo. Foi apenas uma necessidade de explicar uma origem. Para reduzir a culpa o bdsm apareceu como uma possibilidade de vivenciar isso mediante um acordo. Não prático nada disso nas relações baunilha que já tive, pois na era consensual. Então para não repetir o primeiro ato que tive, pois foi unilateral, me tornei praticamente do bdsm. Nele é possível viver o que me dá prazer, sem com isso seja tbm um ato de abuso contra minhas parceiras. Ou que seja um abuso, mas acordado entre ambas as partes.
  • 1 month later...
Posted
Eu estava em casa e minha prima estava passando alguns meses morando com a gente. Eu devia ter uns 12 anos, ela tinha 14. Um dia fui no banheiro e a filha da puta tinha deixado uma calcinha suja na bancada da pia. Ela era meio desleixada não gostava de tomar banho e deixava as calcinhas por tudo que é lugar. Quando entrei no banheiro senti aquele cheiro forte, um cheiro meio de xixi, suor e peixe. Quando vi era a calcinha... Não sei oq aconteceu, mas o meu pau reagiu muito rápido aquele cheiro, ficou duro na hora. Então tranquei a porta, peguei a calcinha e levei ao meu nariz. Nossa... Foi uma sensação de outro mundo. O cheiro estava forte ela tinha acabado de deixar ali. Eu não aguentei bati a punheta mais gostosa da minha vida, espirrei porra no banheiro inteiro. Desde então eu fiquei viciado em cheiro de buceta.
×
×
  • Create New...